O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Post

Após um início intenso de atividades no mês de março, a campanha do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) "Oi, meu nome é Maria" realizou mais uma palestra de conscientização e combate à violência contra as mulheres, dessa vez no Município de Angelina.

A palestra, realizada na escola EEB Nossa Senhora, no dia 7 de outubro, foi ministrada pela Promotora de Justiça Lanna Gabriela Bruning Simoni e contou com a participação de cerca de 140 estudantes, em sua grande maioria adolescentes entre 15 e 18 anos de idade.

Segundo Lanna, a interação com os alunos se iniciou através de uma dinâmica de cabo de guerra, onde pretendia demonstrar a "consciência da vulnerabilidade da mulher, que perpassa, dentro diversos componentes, pela própria força física".

Após essa introdução, a Promotora de Justiça fez uma conversa com os jovens presentes, na qual tratou principalmente sobre a violência sexual, patrimonial, moral e psicológica, abrindo espaço posteriormente para perguntas e debates.

Campanha "Oi, meu nome é Maria"

A palestra fez parte de uma série de ações da campanha do MPSC "Oi, meu nome é Maria", que foi lançada no Dia Internacional da Mulher deste ano, 8 de março, e que busca levar até escolas de diversas regiões do estado informações sobre o combate à violência contra as mulheres e as questões relacionadas à Lei Maria da Penha, como direitos, garantias e medidas de proteção.

Ao longo dos meses, Promotores e Promotoras de Justiça que atuam na área da violência doméstica falaram com adolescentes sobre a importância de combater esse tipo de crime e como preveni-lo, além de informar os professores sobre a rede de atendimento local e sensibilizar sobre o tema.

Voltada ao público jovem e inspirada em capas de livros e cartazes de seriados, a campanha usa a imagem da própria Maria da Penha quando jovem, a farmacêutica brasileira que foi vítima de dupla tentativa de homicídio e ficou paraplégica devido a lesões irreversíveis das agressões de Marco Antonio Heredia Viveros, em 1983.

Maria da Penha lutou para que seu agressor viesse a ser condenado. A sua trajetória em busca de justiça durante 19 anos e 6 meses faz dela um símbolo de luta por uma vida livre de violência contra as mulheres e deu nome à Lei 11.340, sancionada em 7 de agosto de 2006.

A campanha "Oi, meu nome é Maria" se junta a tantas outras já desenvolvidas pelo MPSC, como a "Violência Doméstica - Não se Cale" e "Pode sim!", que objetivam combater a violência contra a mulher e disseminar a igualdade de gênero, respectivamente.

Como contatar o MPSC 

- Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar e contra a Mulher em razão de gênero (NEAVID): neavid@mpsc.mp.br 

- Núcleo Especial de Atendimento às Vítimas de Crimes (NEAVIT): Edifício Campos Salles, Rua Pedro Ivo, n. 231, Centro, em Florianópolis. Além dos atendimentos presenciais, você também pode fazer contato pelo e-mail neavit@mpsc.mp.br, WhatsApp (48) 99105-9843 / (48) 99134-3495, ou no Ramal (48) 3330.9543.