O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Os familiares de Romoaldo Moreira e Claudecira Santos da Silva viram a justiça sendo feita, nesta quarta-feira (3/8), durante a sessão do Tribunal do Júri que ocorreu na Câmara de Vereadores de São Ludgero. O réu, que fugia de uma perseguição policial com um comparsa, acabou colidindo com o carro em que as vítimas estavam, no ano de 2014. Elas morreram ainda no local do acidente por politraumatismo.

Gilberto Oenning Batista, que conduzia o veículo, foi condenado a 20 anos e cinco meses de reclusão, em regime inicial fechado, além do pagamento de 12 dias-multa, pelo crime de homicídio qualificado e receptação.Conforme a Promotora de Justiça Luísa Niencheski Calviera, que atuou perante o júri, Gilberto, ao conduzir o veículo em velocidade acima de 160 km/h, demonstrou total desprezo pela segurança das pessoas e assumiu o risco de ceifar a vida das vítimas para assegurar a impunidade de um crime anterior que havia praticado com o comparsa.

"Após diversos adiamentos deste Júri, hoje, finalmente, os familiares das vítimas receberam a Justiça há tanto tempo aguardada", declarou a Promotora de Justiça.

Entenda o caso

No dia 4 de outubro de 2014, por volta das 22h15, a dupla transportava ao Município de Braço do Norte uma camionete roubada, três celulares, R$ 1.700,00 em dinheiro e folhas de cheque em branco e preenchidas com valores diversos, que haviam sido roubados em Criciúma no dia anterior.

Nas proximidades de Orleans, começaram a ser acompanhados por uma viatura descaracterizada da Polícia Civil.

Ao chegarem a São Ludgero, ainda pela rodovia SC-108, sentido Braço do Norte, após uma tentativa de abordagem por uma guarnição da Polícia Militar, o condutor, Gilberto, e o caroneiro iniciaram uma fuga em alta velocidade para evitarem suas prisões pela prática do crime de receptação.

Quando trafegava pelo quilômetro 2 da rodovia, depois de passar direto por uma lombada, a dupla perdeu o controle do veículo e colidiu com a lateral do veículo que era conduzido por Romoaldo, que trafegava no sentido contrário e no momento da colisão fazia uma conversão à esquerda a fim de entrar no bairro Divina Providência.

Romoaldo e a caroneira, Claudecira, morreram no local do acidente.

Na sentença, o Juiz decidiu que Gilberto continuará preso preventivamente.