O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



A Promotoria de Justiça da Comarca de Anita Garibaldi promoveu um encontro entre todos os órgãos da rede de proteção para reforçar a importância de uma atuação conjunta, na busca pelos resultados esperados pela população. A Promotora de Justiça Gabriela Arenhart propôs medidas para otimizar as ações, como a criação de grupos de trabalho específicos, visando enfrentar problemas recorrentes no dia a dia, a fim de minimizar os impactos sociais.   

O evento contou com a presença de representantes do Conselho Tutelar, do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e das secretariais municipais de Educação, Saúde e Assistência Social, além do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Foram realizadas dinâmicas de grupo para mostrar a importância de cada agente no contexto da rede de proteção.

"Nosso objetivo é trabalhar não só no viés reativo, mas também no planejamento e na prevenção, para promover ações voltadas a crianças, adolescentes, pessoas idosas e com deficiência, visando combater o alcoolismo, a infrequência escolar, as doenças mentais e outras situações que afetam a comunidade local", explica a Promotora de Justiça Gabriela Arenhart.

O encontro resultou na criação de dois grupos de trabalho que irão promover reuniões periódicas visando atingir objetivos específicos. O primeiro grupo focará na busca ativa pelo combate à evasão escolar. O segundo grupo, por sua vez, organizará encontros direcionados a alcoólicos anônimos.

"Estamos em uma grande cruzada para melhorar as políticas públicas no município de Anita Garibaldi, e nesse contexto é fundamental que cada integrante da rede de proteção entenda a importância do seu papel", conclui a Promotora de Justiça.