Post

Em apoio à 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Chapecó, o GAECO deflagrou a 3ª Fase da Operação "Sodalitas Finis". Dando continuidade às investigações, o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas cumpriu mandados de busca e apreensão e mandados de prisões preventivas expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Chapecó contra suspeitos de integrarem uma organização criminosa. 

Na quarta-feira (10/4), foram cumpridos 37 mandados de busca e apreensão e 34 mandados de prisões preventivas. Um mandado de prisão que restava pendende de cumprimento foi cumprido na noite de quinta-feira (11/4).

O cumprimento dos 36 mandados de busca e apreensão, juntamente com as prisões preventivas de novos suspeitos, representa mais um avanço da Operação "Sodalitas Finis", elevando o total de prisões para 123. 
Post

O objetivo principal desta operação é desarticular as atividades de uma organização criminosa que atua tanto em Chapecó quanto em outras cidades do Estado. Até o momento, as três fases da operação resultaram na apreensão de diversas armas de fogo, munições, mais de R$ 600 mil em dinheiro, além de uma grande quantidade de drogas, incluindo cocaína, maconha e crack.

As ordens judiciais foram cumpridas  em Chapecó, Xaxim, Xanxerê, Videira, Cunha Porã, Ponte Serrada, Concórdia e Pinhalzinho por integrantes do GAECO e contam com o apoio externo da Polícia Militar, Polícia Civil (inclusive com os núcleos de operações com cães dessas instituições), SAERFRON (Serviço Aeropolicial de Fronteira), Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros e Polícia Penal das unidades prisionais da Região Oeste do Estado e integrantes das especializadas GTI - Grupo Tático de Intervenção e NOT - Núcleo de Operações Táticas.

Post

RELEMBRE: A primeira e segunda fase da operação "Sodalitas Finis", deflagradas, respectivamente, em 22 de agosto de 2023 e 09 de fevereiro de 2024, e seus subsequentes desdobramentos, resultaram na prisão de 87 pessoas

A Operação "Sodalitas Finis" é resultado de meses de investigação, que contaram com a colaboração e união de esforços de diversas forças de segurança pública do Estado, representando uma resposta direta e efetiva contra as atividades do crime organizado no Estado de Santa Catarina.

O nome "Sodalitas Finis", ou - o fim do grupo -em tradução livre, foi escolhido em alusão à meta principal desta operação: desarticular as atividades desta organização criminosa, inicialmente, na cidade de Xaxim e região próxima a Chapecó, cujos criminosos são responsáveis por uma ampla variedade de crimes graves, incluindo tráfico de drogas em larga escala, homicídios, roubos, entre outros.