O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de um homem de 24 anos que tentou matar a ex-companheira. A acusação sustentada pela 11ª Promotoria de Justiça da Comarca de Lages perante o Tribunal do Júri prevaleceu e a tentativa de homicídio duplamente qualificada foi reconhecida pelos jurados (motivo torpe e feminicídio). A pena foi fixada em sete anos de reclusão em regime inicial fechado.

Segundo consta nos autos, Leonardo Ferreira da Cruz era ciumento e "se achava dono" da ex-companheira. Em 1º de dezembro de 2018, ele arrastou a vítima pelos cabelos por cerca de 100 metros em uma via pública. De acordo com a denúncia, durante o percurso ele chutou e esbofeteou a vítima, atingindo-lhe a cabeça e outras partes do corpo e causando-lhe várias lesões. Ele também usou uma tesoura de jardinagem para feri-la.

O réu confessou que cometeu parte das agressões após a uma discussão ocorrida em uma boate.

Durante a sessão do júri, o Promotor de Justiça Fabrício Nunes reforçou que a vítima sobreviveu porque foi socorrida a tempo. "O homicídio não foi consumado por circunstâncias alheias à vontade do réu, ou seja, pela intervenção de terceiros", frisou.

Casos chocantes como esse motivaram o MPSC a realizar a campanha "Você não está sozinha", dentro da programação do Agosto Lilás, que mostra várias iniciativas para conscientizar a população, prevenir e combater a violência contra a mulher.